Transformando Territórios

O Programa Transformando Territórios é uma iniciativa do IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social – com a Charles Stewart Mott Foundation para fomentar a criação e fortalecimento de Institutos e Fundações Comunitárias no Brasil, com o engajamento de doadores e sociedade civil, compartilhamento de conhecimento e apoio técnico. No modelo abaixo ilustramos como Institutos e Fundações Comunitárias operam:

O que são institutos e fundações comunitárias?

Institutos e Fundações comunitárias são associações que atuam em prol de um território geográfico delimitado, seja este um bairro, cidade ou região, com visão de longo prazo e buscando o impacto sistêmico para o desenvolvimento da região. São protagonistas da interlocução entre organizações e iniciativas sociais com os doadores, sociedade civil e poder público, promovendo transparência e engajamento. Estas organizações atuam como grantmakers, ou seja, financiam projetos e iniciativas sociais em múltiplas causas para endereçar as demandas e prioridades da região. Além disto, Institutos e Fundações Comunitárias fortalecem o terceiro setor da região com capacitações e apoio técnico, investem na produção de conhecimento e fomentam a cultura de doação no território onde atuam.

INSTITUTOS E fundações comunitárias no mundo

Ainda pouco conhecidas no Brasil, estas organizações têm se
consolidado cada vez mais internacionalmente como um importante arranjo
institucional para o desenvolvimento social e endereçamento das variadas
demandas dos territórios. 

De acordo com levantamento realizado pelo Community Foundation Atlas, existem mais
de 1.800 institutos e fundações comunitárias. Juntas, essas organizações movimentam
mais de USD 5 bilhões todos anos.

Veja como estão distribuídas geograficamente:

América do norte

america-norte
0

Organizações

Europa

Europa
0

Organizações

África

africa
0

Organizações

Organizações que transformam territórios

Mapa_Institutos Fundaçoes Comunitárias Brasil
Mapa_Institutos Fundaçoes Comunitárias Brasil

Para ver o esquema completo de funcionamento, acesse este site por um computador ou tablet.

R$ 0 ,00

Destinados ao Desenvolvimento de Institutos e Fundações Comunitárias por meio do Programa

Conheça as organizaçãos participantes

Como se tornar um Instituto ou Fundação Comunitária

Para ajudar organizações que desejam transformar um território específico, criamos a Carta de Princípios para Institutos e Fundações Comunitárias, que traz os principais aspectos que devem ser considerados. Para conhecer exemplos práticos e mais dicas, acesse também as notícias e publicações desenvolvidas pelo IDIS e por parceiros. 

Como Apoiar

Apoiar Institutos e Fundações Comunitárias significa  contribuir para a garantia da qualidade de vida de populações em territórios específicos, estimular o protagonismo local e corresponsabilidade de diferentes atores na transformação e proteção de seus territórios com visão de longo prazo. Empresas e filantropos podem se engajar, adotando organizações ou territórios do programa. Para mais informações, entre em contato conosco.

Quem já apoia o Transformando Territórios

Tabôa
ICOM
FEAC
Instituto Baixada
Fundação ABH
FEAV
Banco Êxitos
Fundaes

Embaixadores

Conheça os especialistas e influenciadores que apoiam o Transformando Territórios:

Beatriz Gerdau

Voluntaria, Mentora, Consultora de familias empresarias na Cambridge Family Enterprise Group-Brasil e Diretora do Instituto Helda Gerdau.

Helena Monteiro

Diretora Executiva do DRCLAS Brasil da Universidade de Harvard. Com mais de 30 anos de experiência em filantropia e terceiro setor, foi pesquisadora sênior do Centro de Filantropia e Sociedade Civil da City University of New York e foi membro do Conselho Consultivo da Sociedade Civil do PNUD e do Conselho Consultivo de Sustentabilidade da Telefônica.

José Luiz Egydio Setúbal

Presidente e instituidor da Fundação José Luiz Egydio Setúbal, vice-presidente do Instituto PENSI, presidente do conselho da Associação Fundo Areguá e vice-presidente do conselho da Associação Paulista de Fundações.

Lucia Dellagnelo

Doutora em Educação pela Universidade de Harvard, Diretora-presidente do Centro de Inovação para a Educação Brasileira (CIEB) e Fundadora do Instituto Comunitário Grande Florianópolis (ICom).

Maria Alice (Neca) Setúbal

Presidente do conselho consultivo da Fundação Tide Setúbal e Presidente do conselho de administração do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (CENPEC).

Notícias

Conhecimento

Quem Somos

O IDIS – Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social é uma organização da sociedade civil, sem fins lucrativos, fundada em 1999, cuja missão é inspirar, apoiar e ampliar o investimento social privado e seu impacto, a partir do trabalho junto a indivíduos, famílias, empresas, fundações e institutos corporativos e familiares, assim como organizações da sociedade civil em ações que transformam realidades e contribuem para a redução das desigualdades sociais no país.

A Charles Stewart Mott Foundation é uma organização social grantmaker norte-americana, com sede em Flint (Michigan), fundada em 1926 por Charles Stewart Mott, antigo diretor e acionista da General Motors Corporation. Mais de US$ 3,2 bilhões em ativos alocados para o desenvolvimento de projetos com foco em 4 áreas de atuação: Sociedade civil, educação, meio ambiente e comunidade de Flint. A Mott já apoiou organizações em mais de 62 países e em 2019 distribuiu US$ 133 milhões em grants.

Parceiros institucionais

Brazil Foundation
GIFE

Quer ter mais informações?

Entre em contato com o IDIS pelo email: territorios@idis.org.br ou pelo telefone (11) 3037 8212

Desenvolvido por Agência Métrica

A Agência do Bem iniciou suas atividades em 2005. atuando em diversos projetos sociais em educação, saúde, arte, mobilização comunitária, entre outros. Hoje a Agência possui 18 polos e possui mais de 34 iniciativas espalhadas pela Região Metropolitana do Rio e São Paulo. Em 2012 inaugurou a Rede de Organizações do Bem, sua frente articuladora e grantmaker, que hoje congrega mais de 500 entidades sociais, com o objetivo de prover fortalecimento institucional, capacitação e financiamento de projetos sociais. 

Logo Fundo Comunitário da Maré
  • Território: Território da Maré (RJ)
  • Organização: Fundo Comunitário da Maré
  • Responsáveis: Eliana Sousa Silva e Gisele Ribeiro 

O Fundo Comunitário da Maré é uma iniciativa da Associação Redes da Maré, uma das maiores organizações atuantes neste território, com mais de 20 projetos de desenvolvimento local, arte, cultura e educação. O Fundo Comunitário, que conta com proeminentes membros em seu Conselho, e para o qual já faz captação ativa, fomentará diferentes iniciativas sociais, causas e projetos que operam no território da Maré, por meio do retorno financeiro deste Fundo.

Criado em 2005, o Instituto Jatobás tem por missão “influir positivamente para a ampliação da consciência e para a ação, na construção de um caminho coletivo, solidário e sustentável”. Atua no município de Pardinho e  região da Cuesta Paulista e na cidade de São Paulo, no Campo Belo (Zona Sul), com base no conceito e na prática de desenvolvimento local sustentável. No Campo Belo, acredita que o desenvolvimento de um Instituto Comunitário no território poderá unir, fomentar, potencializar e desenvolver as iniciativas sociais que lutam pela melhoria da qualidade de vida neste território. Desta forma, o Instituto Jatobás pretende ser um articulador das iniciativas e vozes locais para o desenvolvimento de um Instituto Comunitário que participará do Programa Transformando Territórios.  


Este grupo de iniciativa tem o objetivo de estimular e apoiar as potências e inteligência da periferia, valorizando os talentos, a mobilização comunitária e os empreendedores criativos do bairro. 

Os líderes desta iniciativa já possuem histórico de atuação no território de São Miguel Paulista, localizado na Zona Leste da cidade de São Paulo, onde realizaram projetos sociais e culturais para o desenvolvimento da região em parceria com organizações e empresas locais. 

O grupo de iniciativa de Manaus nasce da articulação da Aliança Igarapé do Gigante, formada por ONGs e empresas com projetos de impacto socioambiental na zona oeste da cidade. Os membros da Aliança já desenvolvem projetos nas áreas de educação ambiental, geração de renda, produção cultural, reciclagem, gestão de resíduos sólidos, restauração florestal e regularização fundiária, entre outros. A despoluição desse igarapé, um dos últimos rios da área urbana que ainda abrigam a biodiversidade da região, é o sonho que nos une.

Fundaes

A Fundaes, congrega entidades para unir e fortalecer o Terceiro Setor Capixaba, com já 19 anos de existência. A FUNDAES integra este programa com o objetivo de constituir um fundo comunitário que possa apoiar projetos de desenvolvimento comunitário, de economia solidária, de tecnologias sociais, de apoio à assistência de crianças, jovens e idosos, de defesa de direitos, de promoção/execução de políticas públicas.

  • Território: Ilhabela (SP) 
  • Organização: Instituto Comunitário de Ilhabela
  • Responsável: André Ballesteros (andreballesteros@hotmail.com)

O Grupo de Iniciativa que está sendo formado em Ilhabela tem duas proposta principais:

  1. canalizar o potencial de captação de recursos que existe no território; e
  2. promover a integração de diferentes iniciativas competentes e já atuantes que podem ser potencializadas, tanto com recursos quanto com apoio institucional. 

O objetivo do Grupo é formar um Instituto ou Fundação Comunitária para abrir canais de captação e incentivar a cultura da doação, consolidando um trabalho de longo prazo que possa equalizar a demanda de recursos locais. Entre os resultados esperados, está o reconhecimento por uma gestão transparente, eficiente e imparcial. 

O Instituto Comunitário Manaura nasce da articulação da Aliança Igarapé do Gigante, formada por ONGs e empresas com projetos de impacto socioambiental na zona oeste da cidade de Manaus. 

Os membros da Aliança já desenvolvem projetos nas áreas de educação ambiental, geração de renda, produção cultural, reciclagem, gestão de resíduos sólidos, restauração florestal, regularização fundiária, entre outros. A despoluição desse igarapé, um dos últimos rios da área urbana que ainda abrigam a biodiversidade da região, é o sonho que une a todos.

ICOM

O Instituto Comunitário Grande Florianópolis (ICOM) é uma organização da sociedade civil sem fins lucrativos e de interesse público que atua como uma fundação comunitária. Desde 2005, promove o desenvolvimento comunitário em Santa Catarina, mobilizando, articulando e apoiando a sociedade civil organizada e investidores sociais. O ICOM: produz conhecimento sobre o contexto local, com a elaboração de diagnósticos sociais; fortalece organizações da sociedade civil, grupos e movimentos sociais, por meio de apoio técnico e financeiro; mobiliza e engaja pessoas e empresas para que se envolvam com causas sociais e façam doações estratégicas.

Instituto Baixada

O Instituto atua em prol do fortalecimento de organizações da região, criando condições materiais para transformar a realidade das comunidades vulneráveis do território, seu conselho é formado integralmente por membros nascidos ou moradores da região e possuem um modelo de captação de recursos através da venda de produtos com a marca do Instituto. Já apoiaram projetos culturais, bibliotecas comunitárias, hortas comunitárias, entre outras iniciativas locais. Dentre seus principais apoiadores estão o Instituto Formação – fundado por Maria Regina Cabral -, o Banco do Brasil, a IAF e a W.K.Kellogg Foundation. 

Banco Êxitos
  • Território: Vale do Jequitinhonha (MG)
  • Organização: Banco de Êxitos – Solidariedade e Autonomia
  • Responsáveis: Tião Rocha (tiao@cpcd.org.br) e Flávia Mota (flavia@cpcd.org.br)

O Banco de Êxitos – Solidariedade e Autonomia (BESA) foi criado, em 2003, para ser gestor de Capital Social e de Projetos Exitosos. 

A partir do acúmulo de tecnologias e pedagogias testadas e aprovadas, produtos e resultados, impactos e indicadores de qualidade, se propôs ser um “banco de êxitos” disseminador de soluções para pleno desenvolvimento socioeconômico, ético e solidário no Vale do Jequitinhonha -MG. A estratégia do BESA é o engajamento das pessoas e instituições em torno desta causa, fazer das tecnologias exitosas, sistematizadas e certificadas, politicas públicas efetivas, ganhar escala e estar à serviço do desenvolvimento integral e sustentável da região.

 
FEAC

A FEAC é uma organização que atua em Campinas desde a década de 60 com o objetivo de contribuir para a criação de uma sociedade mais junta, por isto, investe em projetos sociais no território em torno de três áreas de atuação: Empoderar populações vulneráveis; Potencializar territórios vulneráveis; Impulsionar organizações, empresas e pessoas. As atividades da FEAC são financiadas por recursos próprios gerados pela administração do seu patrimônio e parcerias institucionais. 

FEAV
  • Território: Valinhos (SP)
  • Organização: FEAV – Fórum das Entidades Assistenciais de Valinhos
  • Site: feav.org.br
  • Responsável: Eliane Macari (ecmacari@gmail.com)

A FEAV – Fórum das Entidades Assistenciais de Valinhos é uma organização legalmente constituída e composta por instituições não governamentais e sem fins lucrativos, que possuem uma demanda comum, uma causa social, estabelecendo e intensificando o diálogo com o poder público e sociedade. O seu principal objetivo é a valorização do ser humano através dos trabalhos desenvolvidos pelas entidades, com crianças, jovens, adultos ou idosos com ou sem deficiência.

Fundação ABH

A Fundação ABH tem o propósito de impulsionar o desenvolvimento de comunidades, ampliando o acesso à oportunidades e melhoria da qualidade de vida na Periferia Sul de São Paulo por meio de investimentos financeiros, geração de conhecimento e formação de redes. 

A Fundação já investiu mais de R$ 2 milhões em projetos sociais desde 2014. apoiando mais de 112 iniciativas e impactando mais de 1 milhão de pessoas direta e indiretamente. 

A Tabôa tem a missão de fortalecer comunidades pelo acesso a conhecimentos, recursos financeiros e estímulo à cooperação, para que pessoas, negócios e organizações realizem seu potencial, rumo à sustentabilidade. Atua por meio de dois programas, que trabalham de forma integrada componentes socioculturais, econômicos e ambientais, valorizando culturas, saberes e vocações locais. Fundada em 2014 em Serra Grande (Uruçuca/BA), suas ações alcançam, atualmente, 28 municípios baianos. Ao longo de sua trajetória, acumula expressivos resultados, tendo sido reconhecida, em 2020, pelo terceiro ano consecutivo, como uma das 100 Melhores ONGs do Brasil.